Alunos x professores

Ao falar de alunos e professores nas escolas, notamos que muitas vezes, o que deveria ser um excelente relacionamento de orientador-orientado, torna-se uma espécie de luta velada.

De um lado, professores acuados, com medo de se colocar, com medo de perder o controle, com medo de se expor e de experimentar novas formas de didática; que amam sua profissão, mas que não sabem como lidar com o jovem que está aí. De outro lado,  alunos carentes, sem limites educacionais claros (tanto por parte dos pais quanto por parte da escola) e sem referencial de valores e princípios de vida (modelos). Apresentam autoestima baixa e pouco senso de valor. Hoje, muitos jovens tem pouco contato com os pais (não culpo os pais, mas estrutura de vida que temos) então eles passam a se achar livres, porém sem preparo para fazer as escolhas corretas.

Fico impressionada em ver, que ao implementar uma ferramenta de coach educacional nas classes que apresentam muitos problemas disciplinares (em geral da sexta ou sétima série), eles sabem exatamente o que está acontecendo .

Quando trabalhamos  o papel do ensino para eles, começam a perceber que isso terá uma influência decisiva no resultado do futuro deles. Entendem que  cada escolha feita pode auxiliar ou prejudicar seu caminho.

Ao questionarmos  qual é o papel do professor, são claros e concisos – trazer conhecimento de uma maneira bem explicada e depois tirar as dúvidas dos exercícios até que entendamos.

Ao questionarmos  a questão da indisciplina, também falaram  que  em aulas muito interessantes, que sempre trazem novidades, que são dinâmicas, que o professor ouve o aluno e responde às dúvidas,  eles nem pensam e ficar indisciplinados, ficam naturalmente concentrados.

Citaram uma ou outra relação pessoal mal construída com um ou outro professor e também demonstraram interessem como isso poderia melhorar, optaram por um diálogo pessoal individual.
Resultado, com uma conversa franca, conduzida com ferramentas coach adequadas, sem sentido punitivo, com conscientização do papel de cada um, os resultados começam a surgir quase imediatamente.

Ao final da sessão coletiva de coach com os alunos, perguntamos a cada um qual era a palavra que refletia o sentimento deles naquele momento. As mais citadas foram: respeito, valor, alivio, felicidade, entre tantas outras.

Postagem  e texto Andréa B. Bertoncel

Anúncios

Sobre Andrea B Bertoncel

Eu auxilio pessoas que estão infelizes com sua atividade profissional a encontrar seus talentos através do processo de coaching e a construir uma nova vida com mais realização e equilíbrio. A se tornar quem querem ser. Também realizo pesquisas sobre como pensamentos criam a realidade. saiba mais em http://andreabertoncel.com/quemsou/

Publicado em agosto 11, 2012, em Artigos, Sobre o ensino e marcado como , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: